Header Ads

DESAPARECIDO DO ACRE TERIA SE BASEADO NO 'MANUAL DO ESCOTEIRO MIRIM' PARA CRIAR CÓDIGO INDECIFRÁVEL - JÁ VIROU PIADA




Full Metal Acremist, como 'Bruno' ficou conhecido na Rede, chamou a atenção de muitas pessoas com Q.I. realmente elevadíssimos, logo, começou a colher seus resultados.


Desde que o estudante Bruno Borges, de 24 anos, desapareceu no Acre no último 27 de março, internautas estão curiosos com a história, tentando entender a situação e até mesmo desvendar as mensagens deixadas nos 14 livros "criptografados" escritos à mão pelo jovem. Mas para os detetives das redes sociais, nada passa batido. Uma nova teoria sobre os códigos chama atenção para a semelhança com "O Manual do Escoteiro Mirim", HQ com aventuras de Huguinho, Zezinho e Luisinho, sobrinhos do Pato Donald.

O livro saiu das páginas dos quadrinhos para livrarias e bancas de jornal durante os anos 1970. No ano seguinte, a primeira edição trazia curiosidades como o alfabeto em código morse e como se orientar usando a posição do sol. O leitor conhece o "código marciano", por meio do qual pode criar mensagens secretas para conversar com os amigos.



O apelido que Bruno adquiriu nas redes sociais, Full Metal Acremist, faz alusão a um anime cujo símbolo também foi apontado por internautas como fonte para mensagens do estudante. O fato é que o "código" é tão infantil, mas tão infantil, que já virou motivo de "piada" entre os principais estudiosos das áreas de ufologia, misticismo, filosofia e tecnologia da informação, em toda a rede.

Matérias Relacionadas:

CASO BRUNO BORGES, QUE DESAPARECEU NO ACRE
ILLUMINATIS, ALQUIMIA, MAÇONARIA, VATICANO E DEEP WEB



Redação: Diego Lincoln
Revisão e Adequação Jurídica: César Chagas
Revisão Técnica: Gabriel Santos
Fonte Primária de Pesquisa: Redação da Online Revista





Uma das únicas revistas online que é mensalmente impressa, Notícia & Verdade está de olho nas principais notícias do Brasil e do Mundo.




Gostou da Reportagem? Não esqueça de curtir nossa página pelo Facebook! 
Este é o nosso maior pagamento.


Nenhum comentário

Comente utilizando a sua conta junto ao Facebook: